Na tarde da terça-feira, 17 de setembro, o Sebrae/SC e a Epagri fizeram a entrega dos documentos de delimitação geográfica das Indicações Geográficas (IGs) do Mel de Melato da Bracatinga, da Maçã Fuji da Região de São Joaquim e dos Vinhos de Altitude. A cerimônia foi realizada no auditório da Epagri e contou com a presença do Gerente de Desenvolvimento Regional do Sebrae/SC, Paulo Rocha, do Superintendente do MAPA em Santa Catarina, Túlio Tavares Santos, do Secretário Adjunto da Secretaria Estadual da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Miotto, e dos representantes das associações proponentes da IGs.

 

A Indicação Geográfica é uma certificação concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) que garante que um produto só tem aquelas propriedades porque sua produção é influenciada por características ambientais ou culturais de uma determinada região. De acordo com Paulo Rocha, do Sebrae/SC, a conquista dessas IGs irá agregar valor aos produtos, organizando os setores e promovendo o desenvolvimento econômico regional. “Santa Catarina é reconhecida pelos seus produtos de alta qualidade e as IGs são uma ferramenta de valorização da agricultura, da gastronomia e do turismo, importantes para a dinamização da economia e para o desenvolvimento sustentável. A conquista das IGs garantirá aos nossos produtos reconhecimento nacional e internacional”, comenta Paulo.

A partir de agora, o Sebrae/SC irá organizar o Dossiê que será encaminhado ao INPI com os pedidos das três IGs. “Este dossiê será composto pelo documento de delimitação geográfica, que foi entregue hoje, pelo caderno de especificações técnicas da IG, em que são definidas as regras do uso do selo nos produtos do território, pela identidade visual para o uso do selo da IG, por livros históricos e econômicos das três IGs, e demais documentos necessários. As entregas desses dossiês devem ser feitas ainda este ano”, explica Paulo.  

Mel de Melato da Bracatinga

O Mel de Melato da Bracatinga é um tipo diferente de mel. Ele não é produzido pelas abelhas a partir do néctar das flores, mas sim a partir de um resíduo alimentar da cochonilha, que é um inseto que se aloja no caule da bracatinga, árvore nativa da Mata Atlântica. Ele é mais escuro, tem menos açúcares e mais minerais que o similar produzido a partir do pólen. Estudos científicos também apontam propriedades medicinais no produto. Em Santa Catarina, 95% da produção desse mel é exportada.

A região delimitada para essa IG compreende 111 municípios catarinenses, que representam 45% da área do Estado. A IG vai se estender por 8,5% do território do Paraná, na região do Vale do Iguaçu, e vai alcançar ainda 7% da área do Rio Grande Sul, na região conhecida como Campos de Cima da Serra.

Entres os critérios definidos para delimitar a IG do mel de Melato da Bracatinga estão a ocorrência da bracatinga com cochonilha, a altitude superior a 700 metros, o clima, o uso e cobertura do solo, entre outros. A Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de SC (FAASC) é a entidade proponente da IG.

Maçã Fuji da Região de São Joaquim

Além de São Joaquim, os municípios de Bom Jardim da Serra, Painel, Urubici e Urupema estão entro da área delimitada para compor a IG da Maçã Fuji da Região de São Joaquim. Esses municípios produzem uma maçã que se destaca por ser mais vermelha, maior e com formato perfeito. Isso porque eles acumulam mais horas de frio, o que deixa o desenvolvimento da fruta mais lento e uniforme.

Além das horas de frio, serviram como critérios para delimitação dessa IG a altitude superior a 1.100 metros e outras características ambientais que unificam os municípios compreendidos. 

Vinhos de Altitude

Para a IG dos Vinhos de Altitude de Santa Catarina foi delimitada 23,2% da área do Estado, com altitude superior a 900 metros. Ao todo, são 41 propriedades, espalhadas por 32 municípios. Além das características ambientais, essa IG leva em conta a notoriedade das regiões produtoras. Este projeto também conta com o apoio da Embrapa.

Ana Ritti - Fábrica de Comunicação