A primeira turma do Programa Qualifica Mulher Lages foi certificada na tarde desta terça-feira (15 de outubro), e paralelamente ao conceito de capacitação de mão de obra gratuitamente, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, idealizadora do Programa, buscou dar esperança de reinserção no mercado de trabalho para 20 detentas do Presídio Regional do bairro São Cristóvão, nas áreas de cabeleireira básica e maquiadora, com aulas ministradas por instrutoras voluntárias: Seomara Aparecida Souza Polleza (cabeleireira) e Fabiula da Silva Vaz (maquiadora).

Os cursos profissionalizantes duraram em torno de dois meses (agosto a meados de outubro), totalizando 30 horas/aula. Com objetivo de diminuir os índices de reincidência criminal, oportunizando capacitação profissional e treinamento técnico, “como forma de propiciar às reeducandas mais opções de alternativas para obtenção de trabalho após ou durante seu período de reclusão, ao lado do desenvolvimento de ações e mecanismos dirigidos a estimular a criação, ao valorizar formas de produzir mais e melhor”, como corrobora a direção do Presídio Regional. “Nesta linha do Programa Qualifica Mulher, a prefeitura de Lages mostra ser possível levar para dentro de instituições de ressocialização treinamentos de tendência permanente no mercado, pois estas mulheres terão uma profissão ao voltar à sociedade e irão recomeçar de cabeça erguida. Outra qualificação da Secretaria do Desenvolvimento em andamento, cujas aulas práticas iniciaram esta semana, trata-se do curso de mestre cervejeiro artesanal para mulheres, o primeiro do Brasil para o público feminino, desenvolvido em Lages, motivo de orgulho”, pondera o prefeito Antonio Ceron.

A formada A. C. S. O. homenageou e agradeceu às professoras. Juntamente à aluna V. R. S., ela entregou orquídeas de lembrança às instrutoras. A.C. tem 23 anos, é de Curitibanos, está no Presídio há um ano e concluiu a capacitação de cabeleireira. “Havia feito curso quando estava fora, mas aqui é o primeiro. Eu tinha salão e trabalhava como cabeleireira. Eu me sinto realizada, nunca imaginei ter uma oportunidade destas aqui dentro. Vou levar como um aprendizado quando estiver na rua, e para correr atrás de um trabalho. Quero fazer mais cursos, avançar ao aprender novos penteados mais elaborados, poder sair daqui, e ter um trabalho e meus filhos de volta comigo, além de um dia fazer faculdade de Direito”, planeja a jovem, mãe de três crianças de três, seis e nove anos, acolhidas em um abrigo em Curitibanos.

Sua amiga, V., 25 anos, é natural de Caçador e está no Presídio Regional há três anos e quatro meses. Ela fez o curso de maquiagem. “Este é meu primeiro curso profissionalizante. A partir de agora estaremos mais preparadas para o mundo lá fora. Eu gosto muito de maquiagem e me identifiquei. Quero aprender mais e mais. Lá fora sei que vou enfrentar preconceito, mas tenho vontade de abrir um negócio próprio nesta área da beleza”, imagina a garota, que também sonha em cursar Direito. A moça A. acabou de prestar a prova do Exame Nacional para Certificação de Competência de Jovens e Adultos (Enceja) na modalidade de Ensino Fundamental e V. prestou para Ensino Médio. Elas estão ansiosas pelo resultado e revelam que este é só o começo.

A solenidade de formatura foi prestigiada por reeducandas, familiares das formandas e autoridades da administração pública municipal, a exemplo do coordenador dos programas Qualifica Mulher e Qualifica Melhor Lages, Marcelo Lima; o gestor da Unidade Prisional, gerente Diego Costa Lopes; representante da direção do Departamento de Administração Prisional do Estado (Deap) e a Gerência de Desenvolvimento Educacional do Deap, Ludice de Jesus Almeida; o juiz da Vara Regional de Execuções Penais, Juliano Schneider de Souza; o promotor de Justiça da Comarca de Lages, James Faraco Amorim; o comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel, Alfredo Nogueira dos Santos, e o comandante da 2ª Região de Bombeiro Militar (RBM), coronel, Edson Tadeu Steinck de Sousa.

O próximo curso a ser oferecido dentro do Presídio Regional pelo Programa Qualifica será voltado à manipulação de alimentos para um total de 15 detentos e detentas. Este direcionado para aprimorar o trabalho de apenados na preparação dos alimentos na cozinha, servidos aos internos e aos servidores da unidade prisional. A data do curso ainda será definida.

Conheça melhor o Presídio

O Presídio Regional de Lages está situado na rua Mato Grosso, ao lado do quartel do 5º Batalhão de Bombeiro Militar (BBM) e próximo ao 6º BPM. É subordinado ao Deap, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP). Tem como propósito ser reconhecido como órgão consolidado na custódia e reinserção social de reclusos e como visão administrar o sistema prisional catarinense de forma integrada.

Atualmente atende a uma demanda proveniente da Comarca de Lages e de mais nove comarcas vizinhas: Anita Garibaldi, Campo Belo do Sul, Campos Novos, Bom Retiro, Otacílio Costa, Curitibanos, Urubici, São Joaquim e Correia Pinto. São presos em regime semi-aberto, provisórios e prisão civil por alimentos, do sexo masculino e feminino. Constitui-se, então, por 305 presos atualmente.

A equipe é formada por 40 servidores públicos (agentes penitenciários; nove profissionais da área técnica, entre assistente social, psicólogo, médico, odontólogo, enfermeira, técnica de enfermagem e nutricionista; três professoras do ensino fundamental e uma professora do Projeto de Leitura; cinco policiais militares da Reserva - Cetisp; quatro vigilantes da empresa Ondrepsb, e sete estagiários de diversos cursos).

Entre 2017 até os dias atuais foram realizadas as seguintes melhorias estruturais: Construção da ala multissetorial administrativa de atendimento aos visitantes; revitalização interna com garagens cobertas para viaturas e veículo dos servidores; fechamento total das muralhas; reforma interna em espaços destinados à alocação de reenducandos; espaço direcionado à visitação dos familiares em área coberta; alojamentos destinados aos servidores, e adequação às normas solicitadas pela Vigilância Sanitária Estadual e Municipal.

Em andamento estão as seguintes obras, com previsão para término em 20 de dezembro de 2019: Reforma e ampliação da cozinha dos reeducandos, e cozinha e refeitório dos servidores, totalizando 95 metros quadrados. Programada para fevereiro de 2020 está a sala de aula para reeducandos com capacidade para 30 alunos, adequada aos moldes do sistema penitenciário.

Texto: Daniele Mendes de Melo / Fotos: Nathalia Lima