Foi encerrada a última etapa classificatória estadual da 8ª edição do Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2019. A Prefeitura de Lages, através da Secretaria Municipal de Educação está entre os três melhores projetos de Santa Catarina. Os finalistas serão avaliados pela comissão julgadora da premiação que se reunirá na próxima semana, dias 29 e 30 de outubro, em Brasília.  A solenidade de premiação será no dia 28 de novembro em São Paulo.

O projeto inscrito pela Secretaria é o “Cidade Cidadã”, cujo principal objetivo é fazer com que a educação fiscal esteja presente na vida das crianças, independente da faixa etária e nível escolar. Esta edição bateu recorde de inscrições. No total foram 331 trabalhos de todo o país: 216 escolas, 85 instituições, 18 reportagens e 12 projetos de tecnologia. Após a avaliação da equipe técnica, foram selecionadas 39 escolas e 35 instituições, sendo até três instituições por unidade federativa. “Estamos todos orgulhosos por este resultado. Com certeza chegar até aqui, e ficar entre os três melhores do Estado, já é uma grande conquista. O programa de educação fiscal tem trazido o discernimento sobre cidadania para nossas crianças, e isso já é muito valoroso”, ressalta o prefeito Antonio Ceron.

Esta não é a primeira vez que Lages é representada no Prêmio Nacional de Educação Fiscal. Em 2016 a Emeb Coronel Manoel Thiago de Castro, do bairro Santa Clara, ficou entre as seis finalistas na categoria “Escola” e conquistou o segundo lugar. No Estado somente Lages e Blumenau foram contempladas com a premiação desta edição.

Este ano a Secretaria foi inscrita na categoria “Instituição”. As outras finalistas que representam o Estado são o Observatório Social, de Brusque, e a Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc/Campus Joaçaba). “Este prêmio é considerado o Oscar na Educação Fiscal no Brasil, considerando a relevância para seus participantes. Lages mais uma vez se torna referência no programa, em nível estadual e nacional, uma vez que já estamos entre os 18 finalistas em nível de Brasil”, destaca o coordenador do Programa de Educação Fiscal em Lages, Cristian de Oliveira.

Premiação – O trabalho da Comissão Julgadora será dividido em duas fases. No primeiro momento, escolherá os 18 finalistas e, em seguida, selecionar os nove trabalhos vencedores do ano: três escolas, duas instituições, dois jornalistas e dois projetos de tecnologia. Os prêmios em dinheiro variam de R$ 2 mil a 10 mil. Ao todo, serão distribuídos mais de R$ 50 mil em premiação.

Texto: Aline Tives / Fotos: Divulgação