Desenvolvido em Lages, uma das necessidades do Projeto Lixo Orgânico Zero compreende a entrega de Material Orgânico de Difícil Decomposição (MODD), que consiste em serragem, cinzas de termoelétrica, resíduos de podas de árvores triturados, grama e folhas para cobrir os resíduos orgânicos do processo de compostagem.

 

“Temos parcerias firmadas com empresas para ceder o MODD à prefeitura de Lages e a meta é disponibilizar este material ensacado à comunidade, favorecendo o acesso e a expansão da compostagem doméstica através do Método Lages de Compostagem”, diz a coordenadora do Projeto Lixo Orgânico Zero, Silvia de Oliveira.

 

O trabalho está em desenvolvimento junto à turma de mestrado em Ambiente e Saúde da Uniplac e hoje a entrega do material é feita no Horto Municipal do bairro Várzea; no Centro de Educação Ambiental Ida Schmidt (Parque Jonas Ramos - Tanque); Mangueirão do bairro Guarujá, e em eventos. Outros pontos de entrega gratuita podem ser cadastrados com a finalidade de servir como auxílio à distribuição para a população interessada. Informações adicionais podem ser consultadas por telefone: 3019-7462 ou 99902-0062.

O município está desenvolvendo, em parceria com o CAV o Projeto Lixo Orgânico Zero, com apoio do Fundo Socioambiental da Caixa e do Fundo Nacional do Meio Ambiente, do Ministério do Meio Ambiente. Este Projeto objetiva orientar para a destinação dos resíduos orgânicos à compostagem a partir do Método Lages de Compostagem, que consiste na destinação dos resíduos orgânicos domésticos no espaço onde são gerados, aliada ao cultivo de plantas.

Atualmente, mais de 80 instituições, entre elas escolas, empresas e restaurantes, além de unidade prisional, estão desenvolvendo esta ação com orientação técnica realizada por bolsistas do CAV/Udesc e servidores municipais. Esta dinâmica está se espalhando para os domicílios lageanos, bem como à região serrana e outras partes de Santa Catarina.

Informações: Ascom PML