A Polícia Civil de Santa Catarina abriu inquérito para investigar a compra de 200 respiradores por parte do governo do estado, ao custo de R$ 33 milhões, e cuja entrega ainda não ocorreu. A investigação foi anunciada pelo governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL) no início da tarde desta quarta-feira (29) em um pronunciamento. Em nota também nesta quarta-feita, o Tribunal de Contas (TCE) informou que investiga o caso e que verificou a possibilidade de superfaturamento dos preços , além de a empresa não entregar os produtos.

Segundo Moisés, o inquérito foi instaurado para apurar \"possíveis responsabilidades criminais\". O governo quer entender por que os responsáveis autorizaram a aquisição rápida e o pagamento antecipado dos produtos.

\"Esse não é o procedimento padrão, de pagar antecipadamente. Isso precisa ser esclarecido nesses autos de investigação. [...] Quanto à velocidade da compra, por que se deu tão rápido, também será apurado. Tão logo tenha alguma materialidade de algum fato, o governo pretende encaminhar aos órgãos de controle para medidas sejam tomados em havendo algum desvio\", disse o governador.

Os respiradores foram comprados pelo governo catarinense no fim de março e o primeiro lote deveria ter sido entregue pela empresa até 7 de abril, mas ainda não chegou. O novo prazo, segundo o Poder Executivo, é 20 de maio.

Por G1 SC