Com volume de água considerável depois das chuvas fortes destes dois dias, prefeito Ceron revoga decreto com penalidades ao desperdício

A autoconscientização do uso racional da água não pode parar e deve ser diária.

O prefeito Antonio Ceron assinou, na tarde desta quarta-feira (10 de junho), o decreto municipal nº: 18.035, que revoga (cancela), em todos os seus termos e efeitos, o decreto nº: 17.996, de 8 de maio deste ano, tratando da utilização de água fornecida ao município de Lages pela Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa). O referido decreto proibia o desperdício de água, levando em consideração as necessidades da coletividade com o uso diário deste recurso natural, porém, escasso.

O documento previa, para os casos de descumprimento constatados, fiscalização a partir de denúncia, notificação, aplicação de multa, multa dobrada em situação de reincidência e, por fim, a suspensão do serviço de fornecimento de água. O decreto perduraria até que a normalidade fosse restabelecida.

Depois de dois meses sem chuvas significativas, Lages declarou situação de emergência no início de maio, em decorrência da seca que castigava o município e a Serra Catarinense, pesadelo que está sendo amenizado desde esta terça-feira (9 de junho) quando se registrou uma chuva intensa de aproximadamente 40 minutos de duração e acúmulo pluviométrico de 35 milímetros, melhorando significativamente os níveis dos rios e reservatórios.

A previsão de chuva que alegrou os lageanos deve perdurar para os próximos dias. “Estávamos apreensivos quando à falta de chuvas, além da preocupação com novo Coronavírus. Mas o clima mudou e a chuva forte veio, tranquilizando a população e garantindo abundância de água, contudo, lembramos sempre que a economia de água deve ser constante, em um pensamento de bem-estar coletivo”, orienta o prefeito Antonio Ceron.

Texto: Daniele Mendes de Melo

 

Foto: Divulgação