Iniciativa foi tomada por voluntários a fim de proporcionar a quem mora no local, em Joinville, um pouco de conforto, carinho e afeto.

Este ano, o Dia dos Pais foi diferente em Santa Catarina por causa do isolamento social causado pela pandemia do coronavírus. Para proporcionar aos idosos de uma casa de repouso em  Joinville SC, um pouco de conforto, voluntários promoveram uma "cortina do abraço", para que eles pudessem receber o carinho de familiares na véspera do Dia dos Pais.

 

Eliane Sadka aproveitou a oportunidade para ver o pai dela, de 88 anos. Eles compartilharam um abraço apertado através da cortina, feita de plástico e com espaço para os braços.

 

"A gente vem toda semana, duas vezes por semana, eu converso com meu pai aqui da calçada. Ele diz: 'Entre, filha, entra'. E eu não posso. E eu digo: 'Pai, um beijo no seu coração, abraço'. E hoje deu abraço, mesmo com a cortina, mas eu senti ele aqui, ó, encostando no meu coração", contou.

 

A cortina de plástico permite o contato, mas protege os idosos de uma possível contaminação. Depois de cada abraço, o material é higienizado.

 

Assim como em outras cidades, em Joinville a maioria das vítimas fatais da Covid-19 é de idosos. Pais e mães, maridos e esposas. Avós que foram embora mais cedo do que deveriam. A dona do lar de idosos reforça a importância do afeto neste momento tão difícil.

 

"Quanto mais tu dá amor, carinho, atenção, não é só alimentação e medicação. O amor é tudo", disse Delires Gordeichuk.

 

Para quem ficou tanto tempo sem poder abraçar quem se ama, a sensação de poder finalmente fazê-lo é reconfortante.

 

"Meu, meu e dela. Não dá para explicar, só quem sente. Muito bom, maravilhoso depois de quase cinco meses, entrando sem tocá-la, só vê-la, de longe, e você sentir o coraçãozinho dela no seu peto. Maravilhoso", disse a dona de casa Lola Furlan.

 

 

Por NSC TV e G1 SC