A Unidade de Pronto Atendimento oferece atendimento adulto, pediátrico e odontológico. Mas atenção: pacientes com tosse, febre, dor de garganta ou falta de ar devem se dirigir ao Centro de Triagem. A recomendação é que as pessoas evitem ir com acompanhantes na UPA para evitar aglomerações na estrutura de saúde pública

 

Durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) a procura por atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA), continua intensa. Somente no mês de agosto, foram realizados 6.329 procedimentos na estrutura localizada no bairro Universitário, próximo a rodoviária Dom Honorato Piazera.

 

Apesar de ser um volume expressivo, a procura por atendimentos na UPA registrou queda entre os meses de abril a agosto, quando comparado ao primeiro trimestre de 2020. Em janeiro foram 8.552 atendimentos, em fevereiro 12.062 procedimentos e em março foram 10.303 pessoas assistidas no local.

 

Lages confirmou oficialmente no dia 21 de março de 2020, o primeiro caso de Coronavírus. O que se viu nos meses seguintes foi uma queda na procura dos pacientes pelos serviços da UPA. Em abril foram registrados 5.178 procedimentos, em maio esse número passou para 5.581, em junho passaram pela UPA 6.251 pessoas, em julho 6.357 e no mês de agosto, foram 6.329 atendimentos. Desde o dia 1º de janeiro (antes da pandemia) até 31 de agosto de 2020, o total de atendimentos na UPA foi de 60.613 pessoas.

 

Em paralelo, os atendimentos no Centro de Triagem para a Covid-19, registraram aumento escalonado. Em março, primeiro mês de funcionamento da estrutura de saúde foram 61 atendimentos no antigo prédio do Pronto Atendimento Tito Bianchini e no mês de agosto esse índice saltou para 4.895 procedimentos.

 

Além de receber adultos, a UPA também oferece atendimento pediátrico e odontológico. São cinco médicos por turno que estão à disposição da população, dois médicos para pediatria e três para o público adulto, além dos enfermeiros, técnicos de enfermagem e demais profissionais.

 

O diretor da UPA de Lages, Gilmar Ribeiro da Silva, explica que as Unidades Básicas de Saúde (UBS), continuam com sua função, que é atender problemas de saúde mais básicos e encaminhar para outro local, se for necessário. “Se a pessoa consegue ir na Unidade de Saúde é melhor, porque lá tem o médico da sua área que já conhece o histórico do paciente, mas a UPA está de portas abertas 24 horas por dia para atender toda a população”, acrescenta.

 

A diretora de Atenção Básica, Francine Formiga, explica que as pessoas podem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS), de segunda a sexta-feira, das 07 horas às 19 horas, sem fechar ao meio-dia. Nos horários que as unidades estão fechadas, os pacientes podem então se dirigir à UPA. Pacientes com sintomas como tosse, febre, dor de garganta ou falta de ar não devem procurar a UPA, mas dirigir-se ao Centro de Triagem.

 

Na UPA a medicação e a observação das crianças são realizadas em ambientes separados do atendimento adulto.

 

O Secretário da Saúde de Lages, Claiton Camargo de Souza, explica que outra recomendação é que os pacientes evitem ir com acompanhante na UPA. No caso dos atendimentos pediátricos, em que a criança deve estar amparada de um adulto responsável, a indicação é que apenas um membro da família acompanhe o atendimento. “É comum que quando se trata de crianças os pais, os avós e a família em geral fiquem preocupados, mas solicitamos que ao adentrar na UPA, apenas uma pessoa acompanhe a criança, para evitar aglomerações”, comenta.

 

Os pacientes que, porventura se deslocarem à UPA com sintomas semelhantes à Covid-19, serão encaminhados para uma sala separada, a medida foi adotada como protocolo de segurança.

Texto: Flávio Fernandes