Funciona ao público de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 19h, sem fechar para almoço. Portanto, 12 horas de trabalho ininterruptas aos moradores de Lages, quatro horas a mais de serviço à população diante da pandemia, pois antes estava aberta das 8h ao meio-dia e das 14h às 18h

Departamento da Secretaria Municipal da Saúdes, a Vigilância Epidemiológica informa que a procura pelas vacinas de rotina, por parte da população, continua em normalidade mesmo com a pandemia do novo Coronavírus, gerador da doença Covid-19. No início do ano, em razão deste surto que abalou mais de 200 países, o Governo Federal decidiu emergencialmente antecipar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe neste fatídico ano de 2020, seguindo a imunização de março a junho.

Em Lages percebeu-se uma intensa preocupação e mobilização da comunidade para ser vacinada já de antemão, nos primeiros dias da Campanha. Os públicos-alvo atenderam ao chamado e fizeram sua parte com um célere tempo-resposta. Uma estrutura especial foi montada prontamente junto à Central de Vacinas, da Vigilância Epidemiológica, situada no centro da cidade, com tendas e cadeiras para recepcionar os cidadãos dos grupos prioritários a partir de segurança, distanciamento social, comodidade e ventilação.

O Ministério da Saúde encerrou a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe em 30 de junho, que teve início em 11 de março. Contudo, a vacina ainda pode ser obtida já que o Ministério orientou Estados e Municípios a estenderem a vacinação ao público em geral, enquanto durarem os estoques. A medida tem como objetivo evitar o desperdício de doses nas localidades que não alcançaram a meta de imunização no público-alvo, que continua sendo prioritário, segundo o Ministério da Saúde.

O Ministério distribuiu 100% das doses da vacina para todos os estados do país, um total de 79,9 milhões de unidades. O investimento foi de R$ 1,1 bilhão na aquisição das doses da vacina para as três fases.

A Campanha Nacional terminou, mas ainda há doses disponíveis em Lages para serem aplicadas se houver demanda. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe ainda não atingiu a meta determinada para Lages e a campanha do sarampo não foi realizada, porém, foi ampliada de 49 a 59 anos. Foram vacinados 66,65% da meta da vacina contra a gripe, o que significa cerca de 55.100 pessoas dos grupos prioritários. A meta é a imunização de 95% do público preconizado. Lages teria de imunizar 72 mil pessoas. A Central de Vacinas da Vigilância Epidemiológica está totalmente preparada, desinfetada e higienizada para receber as pessoas, assim como os profissionais seguem inteiramente bem equipados e em condições de ofertar um trabalho seguro.

Localizada nos fundos do Centro de Triagem para a Covid-19, antigo Pronto Atendimento (P.A.) Tito Bianchini, a Central de Vacinas da Vigilância Epidemiológica funciona ao público de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 19h, sem fechar para almoço. A entrega de senhas acontece até as 18h15min. Portanto, 12 horas de trabalho ininterruptas aos moradores de Lages, quatro horas a mais de serviço à população diante da pandemia, pois antes estava aberta das 8h ao meio-dia e das 14h às 18h.

O horário foi estendido devido à prevenção e aos casos de Coronavírus em Lages. “É obrigatório comparecer com máscara de proteção facial, acessar uma senha e aguardar na parte externa, com distanciamento social de pelo menos 1,5 metro”, alerta a coordenadora de Imunização, da Vigilância Epidemiológica, Juliana Barbosa Vieira.

Trivalente

A vacina da gripe, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Esta vacina contra a Influenza não tem eficácia contra o Coronavírus, porém, neste cenário de pandemia, auxilia os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para Covid-19 e é uma maneira de resguardar os mais vulneráveis contra doenças respiratórias, que podem impactar o sistema imunológico e favorecer o aparecimento de outras infecções.

A primeira fase da Campanha teve como público-alvo idosos e profissionais de saúde; a segunda imunizou doentes crônicos, profissionais de segurança, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários, e a última etapa serviu para a vacinação de professores, mulheres gestantes, puérperas, pessoas com deficiência, povos indígenas, crianças de seis meses a seis anos e adultos de 55 a 59 anos.

Até agora o Ministério da Saúde (MS) não divulgou informações sobre uma eventual nova campanha nacional de vacinação no Brasil. Todas as vacinas do calendário precisam ter a meta cumprida de 90% a 95%.

Onde estão os adolescentes para receberem a vacina contra o HPV?

Outra preocupação, além da meta da vacina contra a gripe não ter sido alcançada, é a imunização dos adolescentes contra o HPV. O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta pele ou mucosas (oral, genital ou anal), tanto de homens quanto de mulheres, provocando verrugas anogenitais (região genital e no ânus) e câncer, a depender do tipo de vírus. A infecção pelo HPV é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST). Em Lages nota-se um déficit na procura. Devem ser imunizadas meninas de nove a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

Quais vacinas o Sistema Único de Saúde fornece em Lages?

As vacinas disponíveis na lista geral são administradas conforme o calendário vacinal da criança, adolescente, adulto, gestante e do adolescente. Não são aplicadas fora da idade preconizada pelo Ministério da Saúde (MS). Trata-se das vacinas pentavalente, pneumo 10, poliomielite, meningite C, rotavírus, hepatite A, hepatite B, tríplice bacteriana, triplice bacteriana acelular, dupla viral, tríplice viral, varicela, febre amarela, HP e meningo ACWY. O cidadão pode consultar a sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência e verificar se a vacina que está procurando está oferecida perto da sua casa.

A vacina BCG é feita somente na Central e com agendamento prévio. Esta imunização é realizada em recém-nascidos que nascem fora do Hospital Tereza Ramos (HTR) e precisam ser agendadas previamente, sendo dez crianças atendidas por semana. 

A vacina BCG é composta pelo bacilo de Calmette-Guérin, obtido pelo enfraquecimento de uma das bactérias que causam a tuberculose. A imunização previne contra a tuberculose, principalmente as formas graves, como meningite tuberculosa e tuberculose miliar (espalhada pelo corpo) e é recomendada como rotina a partir do nascimento.

Esteja atento ao calendário

O calendário de vacinação da rede pública de Santa Catarina, contendo informações sobre as doenças para as quais estão destinadas imunizações, grupo alvo e idade, além do calendário vacinal especial para o prematuro extremo, intervalo entre as doses e a administração, está disponível para consulta no link http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/calendario_epidemiologico/CALENDARIO_VACINAL_2019.pdf.

Texto: Daniele Mendes de Melo

Foto: Divulgação