Tampinhas, canudos e outros resíduos viram bonecos que imitam robôs e inspiram crianças de todo país.

Uma artística plástica de Santa Catarina tem usado o lixo encontrado em praias de Itapema, no Litoral Norte do estado, em bonecos robôs, aproveitando principalmente tampinhas e canudos.

“A minha preocupação em despoluir o planeta deu vida ao projeto Robôs Adoráveis, para retirar do ambiente esses resíduos e transformá-los em peças únicas e carismáticas e também inspirar as pessoas a não descartar lixo na natureza, e sim enviar para reciclagem”, explica a artista Mônica Turato.

 

Moradores de outros estados compram os bonequinhos, como a professora Mariana da Cunha Teixeira, Niterói (RJ). Vegana e membro de fóruns de sustentabilidade, ela escolheu um robozinho para presentear a filha Mel, que adotou e deu nova cara ao novo amiguinho.

“A primeira robôzinha veio sem boca e minha filha é muito ligada em sorrisos. Aí ela desenhou a boquinha. Registrei e mandei para a Mônica. Desde então, todos os robôs vêm com boquinhas diferentes. Depois disso encomendei outros também, tem uns para montar seu próprio robô”, conta a fluminense.

 

“Estudei durante três anos o lixo que eu encontrava, a ideia era ser Frankenstein. E o primeiro robô que eu criei ficou lindo, a partir daí foi um atrás do outro”, conta a artista plástica, que tem criado peças novas.

 

Os robôs da Mônica também fazem sucesso nas escolas públicas, com o projeto Robôs Viajantes. Ano passado, os alunos da professora Inês Fabiane Ferreira, por exemplo, se revezavam para levar um dos robozinhos para casa e depois compartilhavam a experiência.

 

“A primeira criança achou maravilhoso, passou o dia com a mãe e o robô. A mãe em questão havia sido presa e tinha retornado há pouco tempo. Para a criança foi maravilhoso passar o dia com a mãe e brincando com o robô”, conta a professora Inês.

 

Ela trabalha com as crianças as possibilidades de reaproveitar materiais e preservar a natureza. "Nossas crianças são nosso futuro e devemos semear essa ideia de cuidar, reaproveitar, reciclar e cuidar do meio ambiente", diz a educadora.

 

G1 SC