Cientistas acreditavam que o corpo era um asteroide antes de observarem que sua velocidade era muito \'lenta\', de 3.025 km/h.

 

Em setembro de 1966, a NASA, agência espacial americana, lançou uma sonda em direção à lua, a Surveyor 2, com o objetivo de confirmar as suspeitas de que a superfície lunar era adequada a missões tripuladas.

 

Em setembro deste ano, mais de 50 anos depois do lançamento da sonda, os cientistas avistaram por telescópios o que eles acreditavam ser um asteroide se aproximando da Terra, então batizado de SO 2020. Após observarem o corpo estelar por algumas noites, os cientistas divulgaram que o asteroide, na verdade, pode ser um pedaço da Surveyor 2.

 

\"Os cientistas deduziram que seria um objeto artificial depois de observarem que a órbita do corpo não se afasta muito da Terra. Além disso, ele orbita o sol em uma órbita quase circular, como se ele estivesse acompanhando a Terra\", explica o astrônomo Cassio Barbosa.

 

Outro indício de que o corpo avistado se aproximando da Terra é um pedaço do antigo foguete, e não um asteroide, é a sua baixa velocidade: segundo cálculos da Nasa, ele orbita o sol a cada 1,06 anos, ou 387 dias terrestres, uma velocidade muito próxima da Terra.

 

\"O objeto partiu daqui e volta para a órbita do sol ao completar o ciclo, se aproximando da Terra novamente. Isso é possível e não é incomum acontecer\", diz o astrônomo.

 

Os modelos de órbita usados para calcular o percurso do objeto também ajuda a calcular sua origem, e seus cálculos mostram que o objeto deixou a terra na década de 1960.

 

\"Quando se projeta essa órbita para o passado, é possível calcular e ver que as duas órbitas [da Terra e do objeto artificial] se encontram por volta de 1966, que foi quando a sonda foi lançada\", explica Barbosa.

Segundo os cientistas da Nasa que avistaram o objeto, o pedaço da sonda está a uma velocidade de 3.025 km/h ou ou 0,84 km por segundo, muito \"lento\" para ser um asteroide. Sua aproximação máxima da Terra deverá ocorrer em dezembro.

 

Depois deste quase encontro meio século depois, o pedaço do foguete - chamado pelos astrônomos de lixo espacial - começará a se afastar da Terra novamente.

 

Sondas Surveyor  

Na década de 1960, durante a corrida espacial, a Nasa lançou uma série de sondas em direção à Lua chamadas de Surveyor. Ao todo, foram sete sondas Surveyor.

 

Consideradas um passo decisivo para o homem pisar na Lua em 1968, as sondas Surveyor eram foguetes não tripulados que tinham o objetivo de fotografar as redondezas lunares, assim como analisar quimicamente o solo local e investigar suas propriedades, verificando se a Lua era segura para os astronautas pousarem.

 

A Surveyor 2 não conseguiu chegar à Lua, contudo, e se destruiu durante o voo.

 

G1