ADRENALINA A FLOR DA PELE

 

 

Voar sempre foi um sonho acalentado pelo ser humano ao ponto de se concretizarem muitas invenções que levaram o homem para o espaço, realizações e evoluções tecnológicas começando pelo balão, avião, foguetes e naves espaciais que singram o espaço sideral há muitas décadas.

 

Mas voar mesmo, igual um pássaro, por exemplo, ou um morcego, isso tem sido para poucos. E Lucas de Zorzi, 39 anos, está entre seleto grupo de pouco mais de 20 pessoas que praticam o wingsuit, no Brasil, o voo livre obtido a partir de salto de avião, helicóptero ou do alto de um penhasco, possibilitado pelo uso de roupa especial e impulsionado e dirigido pelo próprio corpo da corajosa pessoa que se habilita para o inusitado esporte radical. 

Mas para se habilitar ao wingsuit é preciso primeiro praticar o paraquedismo e depois de 200 saltos de paraquedas partir para o Base Jump uma espécie de acrobacia aérea praticada por grupos de paraquedistas.

“Eu já saltei mais de 1000 vezes de paraquedas e fiz mais de 200 voos de wingsuit, saltando de penhascos. Voar assim é a maior sensação do mundo. É perigoso, mas o medo é superado pela grande adrenalina. Eu gosto muito de wingsuit”, revela Lucas.

Natural de Caxias do Sul, Lucas reside em Lages há 25 anos. Ele é empresário, casado e pai de um filho. Amante de esportes radicais, viaja pelo mundo, tendo escalado montanhas na América (Aconcágua – na Argentina, com 9.961 metros e MacKinley – Alasca, com 6.190 metros) e na Ásia (Himalaia - Cho Oyo, 8.188 metros, a sexta maior montanha do mundo). “Comecei a escalar com 15 anos de idade, mas o que mais gosto de fazer é o wingsuit”, destaca.

Segundo conta o empresário, o wingsuit (com salto de avião) é hoje praticado no Brasil por cerca de 100 a 150 pessoas. Já no wingsuit a partir do salto de montanha não passa de 20 praticantes.

Lucas ficou mais conhecido depois de ter saltado na Serra do Rio do Rastro e filmado o próprio voo. Agora ele disse que está organizando um voo, no mesmo local, para o qual convidará alguns amigos que praticam o esporte e residem fora de Lages.

 

---------------------------------------

Infelizmente,  Lucas de Zorzi em razão de acidente ocorrido dia 11/10/2020 durante a subida do Cânion Espraiado, no município de Urubici, veio a falecer, interrompendo uma trajetória marcada pelo seu espírito aventureiro.  

Nossos profundos sentimentos a todos amigos e família.

 

 

Texto Revista Visão

Fotos Divulgação