A  CDL Lages recebeu para uma reunião nesta terça-feira (08), os supervisores da diretoria de Trânsito (Diretran), para discutir e esclarecer os limites e funcionamento da Área Azul. Com início das operações na segunda-feira (14), o estacionamento rotativo eletrônico no município de Lages será realizado pela empresa Serbet Sistema de Estacionamento Veicular do Brasil, de Joinville, que foi a vencedora do processo licitatório e contratada no mês de outubro. Desde então, a diretoria da CDL esteve em diálogo constante com os responsáveis da empresa vencedora e também os supervisores da Diretran, o diretor-executivo de trânsito, Newton Silveira e o diretor de Engenharia de Trânsito, Sergio Todeschini.

     “O estacionamento rotativo para o comércio de Lages é muito importante. Acreditamos que possa trazer mais movimento ao nosso comércio, pois terá rotatividade dos veículos. A CDL está em diálogo constante com os responsáveis do serviço que ganharam a licitação, estamos acompanhando e por dentro de tudo, para que a melhoria no comércio local venha acontecer”, comenta o presidente da CDL Lages, Marcos Tortelli.

 

     O Diretor Executivo da Diretran, também afirma que a rotatividade de veículos beneficia a cidade e também o comércio. “A chegada da área é de suma importância para o município de Lages, mas principalmente para o comércio, pois estudos apontam  que onde existe o estacionamento rotativo o comércio vende em torno de 30% a mais. Sem falar na população que consegue vir ao centro e achar onde estacionar, pois, com o rotativo as áreas públicas se tornam de todos”, afirma Newton. 

 

     A área Azul contará com cerca de 2.500 vagas distribuídas por regiões da cidade. O controle rotativo inicia de segunda a sexta-feira das 08:00 às 19:00. Sábados das 08:00 às 13:00. O usuário contará com o uso totalmente digital (aplicativo via Smartphone ou website) ou de forma avulsa (parquímetro e postos de vendas).

 

    O valor do estacionamento rotativo será de R $2,25 o preço inicial da tarifa básica de utilização das vagas destinadas para automóveis, caminhonetas e similares, para o período de uma hora em cada vaga. Já o preço para as vagas destinadas a ciclomotores, motocicletas, motonetas e similares será de 50% do preço da tarifa básica para o período de uma hora (R$1,15). Os valores podem ser reajustados proporcionalmente ao período de ocupação da vaga. O tempo máximo de permanência permitido na vaga é de duas horas. A tarifa para carga e descarga está estabelecida (30 minutos) em R$2,25, com tempo máximo de uma hora na ocupação da vaga.

 

     Em Lages, utilizando o formato digital, o usuário poderá pagar só o tempo que permaneceu na vaga. Ao sair da vaga, deve-se parar a alocação digital e os créditos do tempo não utilizados irão voltar para a conta digital da cidade, conforme se explica no site Estacionamento Digital. Exemplo: se o usuário alocar uma hora e permanecer na vaga por apenas 45 minutos, poderá, via aplicativo, acionar o botão “Parar alocação” e o valor fracionado dos 15 minutos restantes retornarão para o usuário.

 

     Segundo Sérgio, a modalidade Área Azul é importante para organizar melhor o trânsito e oportunizar a todos. "É importante que respeitem as normas da Área Azul, é uma regulamentação do espaço público. Com igualdade de direitos, um estacionamento rotativo justo e de qualidade para uso por parte das pessoas que necessitam despender de tempo para pagar contas, resolver pendências e fazer compras no Centro e no Coral", cita. 

 

     O Futuro Presidente da CDL, Zulmiro Klann, também esteve na reunião e ressaltou sobre como a rotatividade democratiza o uso do espaço público 

“Hoje o consumidor Lageano muitas vezes não se sente motivado a comprar no comércio da área central, pois não encontra vagas para estacionar. Essa falta de vagas ocasionada pela baixa rotatividade,  pois muitos usuários deixam seus carros estacionados o dia inteiro faz com que esse consumidor acabe buscando outras formas de comprar seus produtos, seja internet ou outro canal de venda ocasionando prejuízos ao comércio local”, conclui.