O setor de TI ganhou destaque no vestibular 2021 e segue como forte candidata a profissão do futuro.

 

 

A vida é um grande ciclo e com muita frequência é preciso tomar decisões importantes. Talvez, umas das primeiras grandes decisões acontece por volta dos 16 anos, quando os jovens precisam responder aquela famosa pergunta “o que querem ser quando crescer” e apesar da pouca idade, é preciso escolher a profissão que os guiará pelos próximos anos. “Se eu pudesse dar um conselho falaria para eles começarem por eliminação, selecionando entre as áreas pelas quais possuem maior afinidade, as profissões que estão em alta e os setores mais promissores, assim vai ficando mais fácil descobrir qual caminho seguir” – resume Jerry Soares, CEO da MPJ Solutions, empresa de consultoria de Outsourcing e TI.

 

E para estes dois últimos tópicos (profissões em alta e setores promissores), a tecnologia ganha destaque. Segundo um Documento apresentado no Fórum Econômico Mundial na Europa, em 2020, especialistas em Inteligência Artificial, Cientista e Engenheiro de dados são consideradas as três profissões do futuro. Somado a isso, uma pesquisa da Brasscom/Caged as vagas de trabalho em Tecnologia subiram 30% em 2020, com relação a 2019 e os números continuam muito favoráveis para esse ano.

 

Só no vestibular da Unicamp desde ano, os cursos Ciências e Engenharia da Computação, estiveram entre os dez mais concorridos, 37 e 32 candidatos, respectivamente, por vaga. Jerry Soares, explica que a área de tecnologia é um excelente mercado para os jovens. “Além deles já terem nascido com o telefone na mão e possuírem grande facilidade com a tecnologia, hoje em dia, o profissional de TI vai muito além. Ele não presta somente suporte, também faz o papel de protagonista desempenhando soluções e serviços. Saiu de trás do computador e está na linha de frente”, comenta o empresário.

 

Mas, por ser um mercado que só evolui, o indivíduo precisa estar antenado com as novas tendências, acompanhar as mudanças do mercado e se manter em constante evolução. Cursos e formações voltadas para a área são super importantes e fazem com que o profissional não fique para trás e continue competitivo. “O grande gargalo desse setor ainda é a ausência de mão de obra qualificada e é nesse ponto que os profissionais dedicados, se destacam” - pontua.

 

O empresário comenta que por ser uma área com uma grande defasagem de indivíduos qualificados, a procura por esses é enorme, principalmente agora que da noite para o dia, muitas empresas tiveram que se adequar ao trabalho remoto, e com isso aumentar a atenção para a segurança dos dados, fazendo com que a procura por profissionais de TI aumentasse.

 

Sobre o CEO Jerry Soares: Formado em Sistemas de Informação (Mackenzie), Pós-Graduado em Administração de Empresas (FGV) e com mestrado em andamento no Insper, Jerry Soares já atuou em grandes empresas e transita com facilidade não só na área de TI, mas em Marketing, Negócios e Gestão. Atualmente, é CEO da MPJ Solutions, uma empresa de consultoria de TI e Outsourcing.

 

Sobre a MPJ: Em 2015, os especialistas Jerry Soares e Pedro Moreira, alocavam os seus serviços de bodyshop em diferentes setores econômicos. Com o tempo, decidiram expandir a atuação da empresa treinando e preparando mão de obra de altíssimo nível de performance. Desde então, a rotina da MPJ Solutions, é como a de uma startup, com velocidade na resolução de problemas, ambiente colaborativo e ágil. Assim, a empresa caminha para se consolidar como um dos maiores players em outsourcing com mão de obra multidisciplinar e hiper qualificada, pronta para trabalhar com uma internet cada vez mais dinâmica, intuitiva e interligada. Saiba mais em: www.mpjsolutions.com