Os representantes do comércio, indústria e serviços se reuniram na tarde deste domingo, 07 de março, a fim de se posicionarem sobre o novo Decreto nº 19.100, oficializado nesta manhã, pelo prefeito Antonio Ceron.

 

As entidades entendem a grave situação pela qual a Serra Catarinense está passando devido ao agravamento da pandemia da Covid-19 e que medidas de enfrentamento e combate precisam ser tomadas.

 

Todos concordam que a vida humana deve estar em primeiro lugar, porém também é necessário cuidar da saúde financeira das empresas, que ainda não se recuperaram das medidas tomadas no ano de 2020 e, muitas delas, podem ter que encerrar suas atividades diante de medidas mais extremas anunciadas nesta manhã.

 

Desde o início da pandemia, as entidades têm trabalho em todos os esforços para que seus associados e a comunidade em geral cumpram as regras de higiene, de postura e de segurança para salvaguardar a saúde de todos. As conversas com o setor público sempre foram abertas e transparentes e com o entendimento de que todos os setores econômicos precisam continuar ativos, evitando um impacto negativo maior na economia local.

 

Diante da publicação deste novo decreto, as entidades encaminharam um ofício ao Prefeito demonstrando sua contrariedade por não serem convocados para contribuir com sugestões de ações em prol da sociedade e dos setores produtivos.

 

As entidades empresariais reafirmam o empenho em continuar lutando pela sobrevivência das empresas, enfatizando a cautela, a consciência e o bom senso de todos.

 

O ofício foi assinado pela ACIL, Ampe Lages, CDL, Fiesc Serra catarinense, Fórum das Entidades Empresariais, Sincoval e Sindicato Rural