“O dia de hoje só não é pior que o de amanhã, o que me leva a estender as medidas restritivas em Lages até a próxima sexta-feira (19 de março), quando completará 14 dias. Assim, poderemos ter efetivamente um refluxo nos números que hoje são alarmantes”, prefeito Antonio Ceron

 

 

Reunião com entidades representativas

 

O prefeito de Lages, Antonio Ceron se reuniu com diversos segmentos comerciais e industriais do município na manhã desta segunda-feira (15 de março) para discutir a prorrogação dos decretos nº 19.100, de 07 de março, e nº 19.102, de 08 de março, que perdem a validade às 23h59m. Esses instrumentos jurídicos regularizam as atividades de saúde pública em relação ao Covid-19 e limitam o funcionamento de atividades não essenciais e o encontro foi justamente para ouvir as reivindicações..

 

Participaram da reunião da manhã representantes do Fórum das Entidades ligadas à Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a Associação Empresarial de Lages (ACIL), Polícia Militar, Sindicato Rural, Claiton Camargo de Souza, secretário municipal de saúde, Ronny Albert Westphal, Diretor do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres (HNSP), Mauricio Batalha Machado, diretor do Hospital e Maternidade Tereza Ramos, Leonardo Coelho, diretor clínico do Centro de Triagem de Lages (CT), e Álvaro “Joinha” Mondadori, secretario municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

 

Gabinete Emergencial

 

Na parte da tarde, uma nova reunião, desta vez com o Gabinete Emergencial e oprefeito AntonioCeron, para a decisão, quando o prefeito estendeu as restrições até a próxima sexta-feira, dia 19.

 

 

A prorrogação está fundamentadano boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde que, em 14 de março, apresentava16.972 casos confirmados de Covid-19, sendo que 2.789 estão ativos. A ocupação dos leitosCovid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) é de 100% e 87% nas enfermariasdos hospitais de Lages.

 

Esses dados estatísticos se mostram ainda mais relevantes quando consideram que Lages serve de referência hospitalar para os demais municípios que integram a região da Amures. Foram acolhidos 94 pacientes da região, sendo que o déficit de leitos impede que outros 30 pacientes sejam internados.

 

Lages apresenta 258 óbitos e a região da Amures, 137. A expectativa é que esses números possam aumentar exponencialmente. No momento em que o Sistema Municipal de Saúde se mostrar incapaz de atender a demanda, o colapso será inevitável.

 

Complementando a decisão de dilatar a vigência dos decretos de controle do fluxo de pessoas e de comércio no município, o Prefeito Antonio Ceron considerou o conjunto de regras sanitárias instituído pelo decreto 1.200/2021, do governo estadual, que estabelece a limitação de horários e lotação nos estabelecimentos, alem da determinação de que o transporte coletivo pode funcionar com até 50% da capacidade dos veículos.

 

Medida antipática, mas necessária

 

Na avaliação de AntonioCeron, “é uma medida antipática, difícil de tomar, mas que não tem outra alternativa neste momento. Ainda mais que estendendo até sexta-feira as restrições em Lages, daí elas automaticamente se estenderão até o final da semana, por conta do decreto estadual.

 

Cenário de guerra no Centro de Triagem

 

Durante o final de semana houve um óbito de paciente covid que aguardava internamento em UTI, relatou o secretário Claiton Camargo de Souza.

Também no domingo o numero de atendimentos continuou altíssimo, com nada menos que 304 pessoas sento atendidas no Centro de Triagem.

Outro motivo preocupante para o quadro de Lages é que estão internados no Hospital Infantil nada menos que três crianças com o covid.

 

 

 

Fotos: Toninho Vieira

Texto: Raul Arruda Filho