A Organização das Nações Unidas (ONU) criou, em 1995, o Dia Internacional dos Povos Indígenas, visando garantir os direitos humanos das diversas etnias indígenas do planeta, principalmente no que se às condições de vida, preservação da cultura, e atenção à saúde. Aqui no Brasil a estimativa é de que existam certa de um milhão de índios, cerca de 0,5% da população; a maioria vivendo em condições de extrema pobreza e enfrentando todo tipo de problemas de saúde. Aqui em Mato Grosso a estimativa é de que há cerca de 60 mil indígenas e a situação não é diferente dos demais habitantes de outros Estado.

Desde o início da colonização portuguesa, em 1500, os nativos desta terra a que nominamos como Brasil, sofrem com as doenças trazidas pelos europeus. Essa convivência, nem sempre pacífica, resultou, e ainda resulta, em doenças graves, com altas taxas de mortalidade entre os povos indígenas. Milhares morreram no contato direto ou indireto com os europeus e as doenças trazidas por eles, pois não possuíam imunidade natural. Gripe, sarampo, coqueluche, tuberculose, varíola e sífilis são alguns dos males que vitimaram sociedades indígenas inteiras.