Há mais de um ano o mundo, de forma geral, vive um período difícil e conturbado diante da ameaça provocada pela pandemia da Covid-19. E lidar com as emoções em tempos normais já não era tarefa fácil, desde o início de 2020 isso se tornou ainda mais complicado. 

 

Depressão, incertezas, angústia, crise econômica, desemprego, perdas de pessoas queridas, mudança na rotina diária, entre várias outras coisas, estão levando muita gente a desenvolver quadros graves de estresse.

 

            Esse problema, claro, não é novidade, principalmente para quem vive na agitação das grandes cidades, mas piorou ainda mais com todo o quadro provocado pela pandemia. E a data de 23 de setembro é marcada como o Dia Mundial de Combate ao Estresse, com o objetivo de chamar a atenção e conscientizar para esse problema tão grave e que gera sérias consequências na saúde como um todo. 

 

            O estresse consiste em reações orgânicas e psíquicas provocadas por um estímulo externo negativo e que desequilibra todo o nosso organismo, algumas vezes de forma altamente perigosa. O estresse afeta o sistema imunológico, cardíaco, vascular, entre outros pontos. Diante de tamanha desordem o corpo tenta reagir, mas de maneira desordenada prejudicando, assim, até mesmo a saúde da pele e dos cabelos.

 

Aquela velha expressão “perdendo os cabelos”, que costuma ser usada em situações de tensão ou nervosismo, não são apenas palavras, mas o que acontece, de fato, em muitos casos de estresse: os fios de cabelo são, literalmente, perdidos. “É importante entender os motivos pelos quais o estresse afeta a saúde do couro cabeludo e, consequentemente, ocasiona a queda dos fios”, explica a médica tricologista Luciana Passoni.

 

Segundo a especialista, ao passarmos por uma situação de estresse, o organismo libera cortisol, em conjunto com outros hormônios. O corpo busca, então, se proteger daquilo que lhe está causando desconforto. “O problema é que a constante liberação de hormônios afeta o bom funcionamento dos nossos sistemas, que não conseguem mais controlar o nível de substâncias químicas no sangue”, pontua Luciana.

 

Muitas pessoas, em quadros de nervosismo, tensão ou ansiedade reclamam da queda dos cabelos e isso é um dos sintomas relacionados ao estresse. “O jeito mais fácil de identificar que a queda dos fios está relacionada ao estresse é o eflúvio telógeno, uma perda difusa de cabelos e que aumenta diariamente. Apesar de a condição afetar todo o couro cabeludo, poderá ocasionar a queda dos fios em certos lugares e ser mais perceptível. Qualquer desequilíbrio emocional pode atrapalhar o ciclo de vida dos folículos pilosos, antecipando, assim, o estágio de queda”, analisa a tricologista. 

 

A queda de cabelo provoca grande preocupação, mas Luciana Passoni explica: esse tipo específico de perda dos fios, provocada pelo estresse e estado emocional, é reversível. Desde que a causa do problema seja tratada e eliminada.

 

Dificilmente, no mundo moderno e caótico em que vivemos hoje, um período ou outro de estresse pode ser evitado totalmente, mas é possível ter o controle sobre como reagir e se manter no comando da situação. Mudanças no estilo de vida, por exemplo, podem ajudara lidar com as situações mais estressantes.

 

            A médica tricologista faz uma lista preciosa de cuidados para se livrar dos sintomas provocados pelo estresse e, em especial, sanar a queda dos fios de cabelos:

 

- Planeje uma alimentação balanceada. “Quando não há alimentação saudável, os cabelos sofrem com a deficiência de nutrientes”, alerta Luciana 

 

- Melhorar a qualidade, e quantidade, de sono pode trazer diversos benefícios. “Poucas horas diárias de sono deixam o indivíduo mais vulnerável a cometer erros, que, consequentemente, causarão situações de estresse”. 

 

- Estar perto da natureza diminui os níveis de substâncias relacionadas ao estresse, melhorando a saúde mental, diminuindo a tensão e a ansiedade. “O que vai refletir de forma positiva, também, na saúde da pele e dos cabelos.” 

 

- Exercícios físicos geram efeitos positivos no estado de humor do indivíduo, proporcionando um melhor bem-estar psicológico.

 

Com esses cuidados, e estando sempre alerta para as reações do corpo diante de situações estressantes, a saúde, inclusive dos cabelos, estará sempre sob controle.