Perdendo apenas para o Covid-19 e doenças cardiovasculares, o câncer é a terceira principal causa de mortes no Brasil. Tabagismo, alcoolismo e obesidade são os principais fatores.

 

Celebrado no dia 04 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer é uma iniciativa global organizada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). A data tem como objetivo aumentar a conscientização e a educação mundial sobre a doença, além de influenciar autoridades e população na realização de ações para o controle da doença.

 

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença é a terceira que mais causa mortes no Brasil, perdendo apenas para o Covid-19 e doenças cardiovasculares. A Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) publicou recentemente um relatório com a estimativa de incidência e mortalidade pela doença e as projeções para os próximos anos. Em todo mundo, são esperados 28,4 milhões de novos casos de câncer em 2040.

 

De acordo com a neurocirurgiã Danielle de Lara, que atua no Hospital Santa Isabel (Blumenau/SC), câncer é um termo que abrange mais de 100 diferentes tipos de doenças malignas que têm em comum o crescimento desordenado de células, que podem invadir tecidos adjacentes ou órgãos a distância. “Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores que podem espalhar-se para outras regiões do corpo", explica.

 

Fatores de risco e prevenção da doença

 

A médica informa que o câncer não tem uma causa única. “Há diversas causas externas, presentes no ambiente, e internas, hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas que dão surgimento à doença”.

 

De acordo com o INCA, cerca de 90% dos casos de câncer estão associados a causas externas. “Isso inclui mudanças provocadas no meio ambiente, além dos hábitos e o estilo de vida como o tabagismo, alcoolismo e obesidade. A exposição solar prolongada sem proteção também é um importante fator de risco”, relata Danielle.

 

A neurocirurgiã alerta que hábitos saudáveis no decorrer da vida são essenciais para evitar a doença quando não se tem predisposição à doença.

 

Sobre Danielle de Lara

 

Médica Neurocirurgiã em atividade na cidade de Blumenau (SC). Atua principalmente na área de cirurgia endoscópica endonasal e cirurgia de hipófise. Dois anos de Research Fellowship no departamento de "MinimallyInvasiveSkull Base Surgery" em "The Ohio StateUniversity MedicalCenter", Ohio, EUA. Graduada em Medicina pela Universidade Regional de Blumenau. Possui formação em Neurocirurgia pelo serviço de Cirurgia Neurológica do Hospital Santa Isabel.