Jornais de 1924 a 1930 pertenceram a Mario Augusto de Sousa, o patrono do cinema em Lages

 

Mais capítulos da história de Lages foram doados ao acervo documental do Museu Histórico Thiago de Castro (MHTC). Nesta semana, a equipe do Museu recebeu seis encadernações das edições originais de 1924 a 1930 do Jornal Correio de Lages, jornal que pertenceu ao Partido Republicano Catarinense. Doado por Adalucia Fornari Sousa, o material pertenceu ao seu avô, o ilustre português Mario Augusto de Sousa, responsável pelo icônico Teatro Municipal de Lages e pela construção do Teatro Carlos Gomes, além de uma infinidade de ações culturais que moldaram uma época de transição do teatro e cinema.  

O Jornal Correio de Lages foi um dos diversos periódicos de Santa Catarina pertencentes ao Partido que teve origem em 1887, dois anos antes da Proclamação da República. Entre os famosos nomes do Partido no Estado estão o de Lauro Müller, Floriano Peixoto e Hercílio Luz.

São seis encadernações com todas as edições do jornal em ótimas condições de conservação. A coleção completa tem da primeira edição, publicada em 28 de junho de 1924, até a edição final, publicada em 4 de outubro de 1930.

 

Procedimentos técnicos

 

Segundo a servidora Andreia Rodrigues, a equipe do Museu Histórico Thiago de Castro realizará os procedimentos de higienização de todo o acervo recebido. “Porém, as encadernações deverão ficar isoladas e sem manuseio por cerca de 30 dias, longe da umidade e sem contato humano. Após o processo de higienização, os servidores do MHTC farão a digitalização de todas as edições para que, ao final de todos esses processos, esses importantes capítulos da nossa história possam estar à disposição de pesquisadores e comunidade em geral”, argumenta.

 

Publicidade e política

 

Mesmo sendo um jornal pertencente a um dos partidos políticos mais importantes do país na época, o Correio de Lages foi um informativo semanal com um notório serviço público de anúncios publicitários e de reprodução de mensagens enviadas e recebidas por telégrafo, intitulado como “Serviço Especial do Correio de Lages”. As páginas destinadas à propaganda dos comerciantes lageanos também foram aumentando com passar das edições, e dividiram espaço com importantes notícias, como a eleição do governador (chamado na época de Presidente de Estado) Adolfo Konder, em 1926, tendo como vice o lageano Doutor Walmor Argemiro Ribeiro Branco.

Para o superintendente da Fundação Cultural de Lages, Giba Ronconi, o trabalho do Museu Histórico Thiago de Castro tem um importante papel na construção e propagação da história de Lages e do Estado. ”Agradecemos o presente da senhora Adalucia e afirmamos o nosso compromisso do zelo e, principalmente, a propagação desse rico conteúdo tão bem cuidado pelo seu avô, que também foi um dos nossos principais representantes da cultura da nossa cidade.”

Texto e fotos: Fabrício Furtado